Julho 9-15

Vinde a um lugar solitário…

 

Jesus rezava. Todos os evangelistas mencionam Jesus retirar-se para um lugar solitário, indo para a montanha, ensinando os discípulos a rezar, convidando-os a ir a um lugar solitário, pela noite fora ou de manhã muito cedo.

O seu tempo de oração era o seu tempo de se encontrar e estar a sós com o Pai. Era esta relação íntima que o fortalecia para aceitar plenamente e realizar a sua missão que culminava na Cruz gloriosa. O Sínodo de 2012 explicava brevemente esta proposta na Dimensão Espiritual da Nova Evangelização: A Evangelização é a “dimensão contemplativa” da Nova Evangelização que é alimentada continuamente através da oração… (Proposta do Sínodo, 36).

Hoje, o mundo precisa cada vez mais de espaço contemplativo – na vida pessoal, no ambiente de trabalho e especialmente na vida de família. Concordamos todos que desejar e procurar a Deus é inerente a todo o coração humano. Estas são as forças que conduzem a oração que alimentam a vida espiritual. Santo Agostinho insistia que o nosso coração é feito para Deus e que não encontra repouso enquanto não descansa nele.

O nosso discipulado cristão chama-nos de dentro a passarmos tempo com Jesus o nosso Mestre. É essencial e portanto indispensável no apelo da Nova Evangelização porque a Nova Evangelização não é uma questão de dar a conhecer doutrina mas antes um encontro pessoal e profundo com o Salvador, (Madre Jean-Théophane).

Pensamentos de Madre Rivier:

A nossa vocação é a vocação de Jesus Cristo. A nossa missão é a missão de Jesus Cristo!

Para este trabalho, de evangelização, ter sucesso temos de ser pessoas de oração; os nossos corações têm de rezar incessantemente, suspirando diante de Deus: os nossos gritos interiores têm de fazer descer as graças poderosas de que temos necessidade.

Ir. Charito