Julho 16-22

Escutai, meu povo, prestai ouvidos à minha palavra…

 

Gostaria de partilhar a reflexão pessoal do Cardeal Luís António G. Tagle das Filipinas sobre ouvir a Palavra de Deus no nosso mundo de hoje e o que isso envolve.

Escutar é antes de mais, ser arrastado para Aquele que me fala. É estar em relação com o desejo mais profundo no meu coração que é acolher Deus que quer entrar na minha vida. Sabendo que o desejo mais profundo me leva a estar interessado n’Ele que toma a iniciativa e estar atento ao que Ele me vai dizer. Escutar supõe abertura para ouvir de Deus palavras que posso não gostar ou que não estou à espera de escutar; e a abertura de ser ferido por Alguém que me ama e deseja o que é bom para mim e para outros através de mim. Escutar supõe prontidão para ser mudado, para ser convertido, para ser transformado e prontidão para responder em acção. O meu escutar é completo só se eu actuei sobre o que ouvi. Escutar supõe sempre uma missão - um escutar com outros. Eu não oiço como um individual, eu oiço como alguém que faz parte dum povo com as suas esperanças e sonhos… A Palavra objectiva de Deus na Escritura vem a mim duma única maneira e vem ao meu único mundo. Eu acreditei que Jesus que falou então, continua a falar para mim…continua a visitar as Martas e as Marias deste mundo. Jesus continua a visitar túmulos e chora… Jesus continua a encontrar viúvas que sepultam os seus filhos e filhas… Jesus continua a gritar com muitas pessoas: “Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonastes?”… escutamos Jesus e escutamos o mundo à nossa volta… (Síntese da entrevista na TV por Salt e Light Canada).

O Sínodo 2012, proposta 11: “A Nova Evangelização e a Leitura Orante da Sagrada Escritura” diz: Deus comunicou-se a nós na sua Palavra, feita carne. Essa Divina Palavra, ouvida e celebrada na Liturgia da Igreja, particularmente na Eucaristia, fortalece interiormente os fiéis e torna-os capazes dum testemunho evangélico autêntico na vida diária…” Convida-nos a continuar a Lectio Divina ou a leitura orante da Palavra de Deus para alimentar a nossa vida espiritual. Este caminho devia impelir-nos para uma fidelidade e entusiasmo renovados para aprender e re-aprender a arte de ler e escutar a Palavra de Deus. A reflexão citada acima pode inspirar-nos a procurar o nosso modo criador de escutar a Palavra necessária para a Nova Evangelização.

Lembramos que a “Lectio Divina é uma maneira de escutar Deus hojeComo podemos falar a Deus na oração se não da linguagem de Deus – essa divina palavra” (Madre Jean-Théophane).

Pensamentos de Maria Rivier:

Aprender em Jesus Cristo a caminhar na presença de Deus e a ser alimentado com o pão da sua divina vontade.

É nas nossas conversas com o Senhor que a piedade se torna viva… nelas encontramos paz durável e profunda tranquilidade…”

Ir. Charito