16 de Janeiro 2014

Que o Deus da coragem esteja connosco. Que ele nos ajude a não fugirmos se uma infelicidade nos atinge, que ele nos dê coragem para todos os conflitos que temos de enfrentar no quotidiano. (Texto inspirado em Anselm Grun, O livrinho dos anjos, p. 86)

Palavra de Deus: “É por isso que não perdemos a coragem. E ainda que o nosso homem exterior se destrua, o nosso homem interior renova-se dia a dia.” 2 Cor 4,16

Palavra de Maria Rivier: “ Estejamos cheias de coragem, e mantenhamo-nos fortemente enraizadas em Jesus Cristo; não podendo nada por nós-mesmas, vamos sem cessar pedir-lhe recurso, com toda a humildade e a confiança duma criança para com o seu pai.” Carta de Maria Rivier, 28 de Junho 1806

Sim, hoje, que sejamos cumuladas da bênção da coragem! 

                                                                      Ir. Claudette Casavant

 

15 de Janeiro 2014

Que o Deus da hospitalidade esteja connosco. Que ele afaste de nós o temor do que nos é estranho. Que ele nos torne a vida mais leve e nos liberte também da pressão que se exerce sobre nós, a de sermos por exemplo um hóspede particularmente à altura, de ultrapassar os outros na nossa maneira de receber. Temos necessidade de (porei o de depois de simplesmente) simplesmente nos investirmos a nós-mesmas para que um encontro se torne possível. Então as pessoas sentir-se-ão à vontade em nossa casa, poderão sem medo ser eles-próprias na nossa casa. (Texto inspirado em Anselm Grun, O livrinho dos anjos, p. 79)

Palavra de Deus: “Não vos esqueçais da hospitalidade, porque, por ela, alguns sem o saberem alojaram anjos.“ Heb 13,2

Palavra de Maria Rivier: “Tende muita união entre vós e com as Irmãs que vos estão próximas: que nunca haja uma palavra de contestação, acolhei-as todas com amizade quando vêm visitar-vos.” Carta de M. Rivier, princípio de Setembro 1805

Sim, hoje, que sejamos cumuladas com a bênção da hospitalidade!

 

                                                                                                                Ir. Claudette Casavant

 

14 de Janeiro 2014

Que o Deus do amor ao próximo esteja connosco. Que Ele nos abra os olhos para vermos o que espera de nós. Vivendo o amor ao próximo, não nos vamos sentir nem acabrunhados nem no extremo das nossas forças, mas tomamos consciência que a nossa alma se anima, se alarga e se enche de alegria. (Texto inspirado em Anselm Grun , O livrinho dos anjos, p. 73)

Palavra de Deus: “ Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”Mc 12, 31

Palavra de Maria Rivier: “Pelo amor de Deus, edificai as vossas companheiras e vivei todas na caridade.” Carta de Maria Rivier, 8 de Dezembro 1826

Sim, hoje, que sejamos cumuladas com a bênção do amor do próximo!

 

  Ir. Claudette Casavant

 

13 de Janeiro 2014

Que o Deus da partilha esteja connosco. Que Ele nos dê a coragem de viver a nossa vida em solidariedade com os outros. Descobriremos então com alegria que tiramos daí uma recompensa abundante. Porque se estamos prontos a partilhar, os outros também partilharão a sua vida connosco e teremos então parte na multiplicidade e na riqueza de toda a humanidade. (Texto inspirado em Anselm Grun, o livrinho dos anjos, p. 68)

Palavra de Deus: “Vendiam terras e outros bens e partilhavam o dinheiro por todos, de acordo com as necessidades de cada um.” Act 2, 45

Palavra de Maria Rivier: “Partilhobem com todo o meu coração todas as vossas cruzes: elas são as minhas, reunidas a tantas outras que não cessam de todos os lados. Espero que serão seguidas de grandes bênçãos; tenhamos muita confiança.” Carta da M. Rivier, 1 de Junho 1822

Sim, hoje, que sejamos cumuladas com a bênção da partilha!

  Ir. Claudette Casavant

 

12 de Janeiro 2014

Que o Deus da oração esteja connosco. Que Ele partilhe connosco os segredos íntimos do seu coração. Que com a ajuda do Espírito Santo, possamos oferecer-lhe sempre o dom da nossa vida para o louvor da sua glória.

Palavra de Deus: “O Espírito vem em ajuda da nossa fraqueza, pois não sabemos o que devemos pedir em nossas orações, mas é o próprio Espírito que intercede por nós com gemidos inefáveis.” Rom 8, 26

Palavra de Maria Rivier: Tenho a maior confiança na oração e abandono tudo ao bom Deus, estou em paz.” Carta da M. Rivier, 17 de Julho 1834

Sim, hoje que sejamos cumuladas com a bênção da oração!

 

                                                                                              Ir. Claudette Casavant