31 de agosto 2014

Jesus não nos promete pois uma felicidade fácil. Ele indica-nos todos os motores da felicidade. Os seres humanos não podem realizar a sua vida se não deixarem no seu coração um lugar para Deus.   A felicidade não se deixa apanhar, mas nós podemos, a quando duma experiência espiritual, exercitar-nos a retê-la, pondo em prática as atitudes descritas nas Bem-aventuranças. Podemos trabalhar por encontrar essa felicidade. Mas, ao mesmo tempo, é preciso reconhecer com o salmista : « Garda-me, ó Deus, o meu refúgio está em Ti. Tu me ensinarás o caminho da vida, diante da Tua face, plenitude de alegria, à tua direita, delícias eternas.  (Anselm Grün, Os oito segredos da felicidade140)

« Trabalhemos com todas as nossa forças por adquirirmos as atitudes que acabamos de meditar, a fim de que sejamos todas do número dos que Jesus Cristo chama  bem-aventurados   (MRivier, Conhecimento de Jesus Cristo, Tome II, p. 206)

 

Ir. Claudette Casavant

 

30 de agosto 2014

« Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte e, depois de se ter sentado, aproximaram-se dele os discípulos. Tomando então a palavra, começou a ensiná-los dizendo:  FELIZES os perseguidos pela justiça,porque é deles o Reino dos Céus. »

 Maria Rivier: perseguida pela justiça

 A atitude de caridade e de paz na qual vivia Maria Rivier não lhe permitia conservar ressentimento contra os que lhe suscitavam injustamente perseguição. Nessas ocasiões sempre penosas, o seu recurso era a oração, depois ficava tranquila. Ela não queria senão o bem, não trabalhava senão para o bem. Se se opunham ao seu fim, quer pos calúnias quer por outros meios, ela esperava com paciência que Deus a justificasse.   S Xavérine

« É uma grande felicidade e grande motivo de alegria sofrer por Jesus Cristo. » Maria Rivier (Tu es bem-aventurada Maria Rivier).

Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça; é deles o Reino dos Céus.. A felicidade transcende o sentimento. Se vivemos como deve ser, e fazemos o que é preciso fazer para fazer do mundo um lugar que tem o cuidado por todos qualquer que seja a pena, o preço ou o custo social que é preciso para o fazer, então a alma estará em paz. (Joan Chittister, Felicidade. 204) 

Reflexão : E eu?  Qual é o lugar da Cruz, do sofrimento, da perseguição na minha vida?

Ir. Claudette Casavant

 

29 de agosto 2014

« Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte e, depois de se ter sentado, aproximaram-se dele os discípulos. Tomando então a palavra, começou a ensiná-los dizendo:FELIZES os perseguidos pela justiça, porque é deles o Reino dos Céus. »

Sigamos o caminho real da Cruz, com todos os Santos e quando Deus nos prova nas águas das tribulações e por dificuldades extraordinárias, muito longe de nos deixarmos abater e desencorajar, alegremo-nos por participarmos nos sofrimentos de Jesus Cristo, porque participaremos também na sua glória. O caminho das perseguições e dos sofrimentos é um caminho seguro que nos conduz ao Céu.  (Maria Rivier, Conhecimento de Jesus Cristo Tome II, p. 206)

A perseguição constitui também a sorte de descobrir as nossas possibilidades e de as desenvolver. Vivemos um misterioro sobressalto quando somos perseguidos pela justiça, porque o mal que se desencadeia sobre nós pode levar-nos ao bem.  … As situações de conflito, que longe de nos abaterem,nos fazem crescer. A confrontação com as dificuldades torna-nos mais fortes. Os fracassos da vida não nos destroem mas empurram-nos para a frente. A vergonha de termos tentado uma recusa pode pôr-nos na situação do perseguido e estimular no caminho que conduz a Deus. S-ao esses os « maus perseguidores », no entanto eles podem nos aproximar d eDeus.  (Anselm Grün, Os oito segredos da felicidade.140)

 

Ir Claudette Casavant

 

28 de agosto 2014

« Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte e, depois de se ter sentado, aproximaram-se dele os discípulos. Tomando então a palavra, começou a ensiná-los dizendo: FELIZES os perseguidos pela justiça, é deles o Reino dos céus. »

É uma grande felicidade sofrer a exemplo de Jesus Crisot e ter parte na Sua Cruz; deveríamos alegrar-nos com isso quando ele nos envia dificuldades e olhá-las como um grande tesouro. … Sigamos Jesus Cristo até à Cruz; não O seguiremos sozinhas; ele está acompanhado de um milhão de Mártires. Mas quando toda a gente o deixasse, não sejamos tão cobardes que o abandonemos também. Se não somos nem bastante fortes nem bastante generosas para pedir Cruzes, sejamos pelo menos bem resignadas a levar todas as uqe Deus nos envia; poderemos contar-nos então entre o número dos discípulos de Jesus Cristo.(arie Rivier, Conhecimento de Jesus CristoTome II, p. 204-205)

Esta bem-aventurança levanta um desafio, mas não nos pede nada de impossível.  Ela faz-nos, pelo contrário, redobrar de coragem para defender a justiça a favor d todos e contra todos. Quando nos pomos à escuta do nosso profundo desejo de justiça, vemos crescer em nós a força de agir.  (Anselm Grün, Os oito segredos da felicidade136)

 

Ir. Claudette Casavant

 

27 de agosto 2014

« Ao ver a multidão, Jesus subiu a um monte e, depois de se ter sentado, aproximaram-se dele os discípulos. Tomando então a palavra, começou a ensiná-los dizendo: FELIZES os construtores de paz, serão chamados filhos de Deus.

 

Maria Rivier : mulher de paz

 

 Qual não era a atenção da Madre Rivier para fazer tudo conforme o Espírito de Deus e para moderar toda a precipitação e inquietação que teria podido contrariar este Espírito. Tinha cuidado em regular as sua relações com o próximo que eram sempre cheias de caridade e de bondade, nunca testemunhando a indignação. É por estes meios que ela pôde conservar a paz e a união da sua comunidade.   Ir Xavérine  Tais são os pacíficos!  A paz que procuram para si-mesmos e para os outros é um sinal da presença do Espírito Santo que as habita !  Maria Rivier (Tu és bem-aventurada Rivier)

Estar em paz consigo, espalhar a paz à sua volta faz descobrir a cada um a sau humanidade verdadeira.Sei então quem sou e estou de acordo comigo. É a maior felicidade prometida por Deus. No entanto devemo-nos ajudar também nós à realização desta promessa.  Devemos encontrar a harmonia em nós-mesmas e ter a coragem de nos comprometermos pela paz. (Anselm Grün, Os oito segredos da felicidade130)

Bem-aventurados os construtores da paz; serão chamados filhos de Deus. São os que recusam semear o ódio entre os povos ou agir pela força mais do que pelo amor, que trazem o espírito do amor de Deus ao mundo. (Joan Chittister, Felicidade p. 204) 

 

Reflexão : E eu?  Como ser artesão de paz no meu meio ?

 

Ir. Claudette Casavant