30 de Junho 2015

Que a Igreja se faça voz de cada homem e mulher

“Neste Ano Jubilar, que a Igreja se faça eco da Palavra de Deus que ressoa, forte e convincente, como uma palavra e um gesto de perdão, apoio, ajuda, amor. Que ela nunca se canse de oferecer misericórdia e seja sempre paciente a confortar e perdoar. Que a Igreja se faça voz de cada homem e mulher e repita com confiança e sem cessar: «Lembra-te, Senhor, da tua misericórdia e do teu amor, pois eles existem desde sempre» (Sl 25/24, 6)(Papa Francisco, Bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia, nº 25).

Coração de Jesus, fonte de toda a consolação, tende piedade de nós

Ir. Maria dos Anjos Alves

29 de Junho 2015

…até onde pode chegar a misericórdia de Deus

“Ao pé da cruz, Maria, juntamente com João, o discípulo do amor, é testemunha das palavras de perdão que saem dos lábios de Jesus. O perdão supremo oferecido a quem O crucificou, mostra-nos até onde pode chegar a misericórdia de Deus. Maria atesta que a misericórdia do Filho de Deus não conhece limites e alcança a todos, sem excluir ninguém. Dirijamos-Lhe a oração, antiga e sempre nova, da Salve Rainha, pedindo-Lhe que nunca se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos e nos faça dignos de contemplar o rosto da misericórdia, seu Filho Jesus”(Papa Francisco, Bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia, nº 24).

 

Salve Rainha, Mãe de misericórdia

Ir. Maria dos Anjos Alves

 

28 de Junho 2015

Maria guardou no seu coração a misericórdia divina.

“Escolhida para ser a Mãe do Filho de Deus, Maria foi preparada desde sempre, pelo amor do Pai, para ser Arca da Aliança entre Deus e os homens. Guardou, no seu coração, a misericórdia divina em perfeita sintonia com o seu Filho Jesus. O seu cântico de louvor, no limiar da casa de Isabel, foi dedicado à misericórdia que se estende «de geração em geração» (Lc 1, 50). Também nós estávamos presentes naquelas palavras proféticas da Virgem Maria. Isto servir-nos-á de conforto e apoio no momento de atravessarmos a Porta Santa para experimentar os frutos da misericórdia divina”(Papa Francisco, Bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia, nº 24).

 

Maria, Mãe de ternura, Maria, Mãe de misericórdia, rogai por nós

Ir. Maria dos Anjos Alves

27 de Junho 2015

Maria, a Mãe da Misericórdia

“O pensamento volta-se agora para a Mãe da Misericórdia. A doçura do seu olhar nos acompanhe neste Ano Santo, para podermos todos nós redescobrir a alegria da ternura de Deus. Ninguém, como Maria, conheceu a profundidade do mistério de Deus feito homem. Na sua vida, tudo foi plasmado pela presença da misericórdia feita carne. A Mãe do Crucificado Ressuscitado entrou no santuário da misericórdia divina, porque participou intimamente no mistério do seu amor”(Papa Francisco, Bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia, nº 24).

 

Juntos, peçamos ao Espírito Santo que nos ajude a redescobrir a alegria da ternura de Deus.

Ir. Maria dos Anjos Alves

25 e 26 de Junho 2015

A misericórdia exprime o modo de ser de Deus

“A misericórdia não é contrária à justiça, mas exprime o comportamento de Deus para com o pecador, oferecendo-lhe uma nova possibilidade de se arrepender, converter e acreditar. A experiência do profeta Oseias ajuda-nos, mostrando-nos a superação da justiça na linha da misericórdia (…) Santo Agostinho, de certo modo comentando as palavras do profeta, diz: «É mais fácil que Deus contenha a ira do que a misericórdia». É mesmo assim! A ira de Deus dura um instante, ao passo que a sua misericórdia é eterna” (Papa Francisco, Bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia, nº 21).

 

Coração de Jesus, abismo de todas as virtudes, tende piedade de nós

Ir. Maria dos Anjos Alves